Abordagem Sistêmica Comunitária

Abordagem Sistêmica Comunitária
O Movimento de Saúde Mental (MSM) iniciou suas atividades no Bom Jardim em 1996. O bairro na periferia de Fortaleza é conhecido pelos péssimos indicadores de desenvolvimento humano e pelos altíssimos indicadores de violência e exclusão.
Acolher, escutar, cuidar das pessoas, que buscavam apoio e cura nos grupos terapêuticos, pioneiros no fortalecimento da autoestima, foram os passos que levaram ao desenvolvimento de uma metodologia socioterapêutica multidisciplinar, reconhecida internacionalmente, chamada de Abordagem Sistêmica Comunitária (ASC).
A Abordagem Sistêmica Comunitária proporciona varias das 29 práticas integrativas e complementares em saúde reconhecidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), como a Terapia Comunitária Integrativa, a Biodança, Arte Terapia, Constelação Familiar, Massoterapia, Reiki, entre outras terapias elaboradas pela equipe do MSM, favorecendo um processo de autopoiese comunitária, despertando a capacidade de auto-organização e de auto equilíbrio da comunidade, trazendo à consciência que as soluções dos problemas pessoais e comunitários, já estão presentes, e que podem ser realizadas através da cooperação e do apoio mutuo, da sabedoria e da experiencia de vida das pessoas que participam.
O aquecimento da comunicação intrapessoal, interpessoal e transpessoal, vivenciada nas varias atividades terapêuticas, gera o campo organizacional necessário para a emergência de novas soluções que levam as pessoas a transformar a dor e o sofrimento psíquico em evolução e superação da crise, com novas decisões e novas perspectivas de vida.
Cursos profissionalizantes oferecidos na Escola de Gastronomia Autossustentável que é um projeto de extensão da Universidade Federal do Ceará, o programa de profissionalização do Jovem Aprendiz, como também a escola de robótica em parceria com o Instituto Nordeste Cidadania, complementam as atividades socioterapêuticas ao serviço da comunidade.
A parceria do MSM com a Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza possibilita a co-gestão do CAPS Comunitário do Bom Jardim e a Residência Terapêutica, oferecendo a oportunidade de cuidados complementares para a população, reduzindo a psiquiatrização da saúde mental.
Em novembro de 2012 o MSM iniciou a primeira formação internacional de facilitadores de Abordagem Sistêmica Comunitária na Bolívia que continua até hoje, também em outros países da América Latina como Paraguai e Peru. A Abordagem Sistêmica Comunitária foi reconhecida como inovação em saúde mental pela Mental Health Innovation Network em 2018. Em agosto de 2019 as praticas de saúde mental do MSM foram apresentadas no XIX Congresso Mundial de Psiquiatria em Lisboa.
Os vários desafios que a pandemia de Covid-19 trouxe para a Saúde Mental estão sendo enfrentados com criatividade e novas propostas para a população, oferecendo vária atividades terapêuticas online.
Esta experiência inovadora com apoio com da Fiocruz-Fiotec, “Saúde Mental em Casa” tem o objetivo de continuar os passos da ASC acolhendo, escutando e encaminhando para o atendimento psicológico e a busca de soluções e assim transformar o sofrimento psíquico das pessoas. A plataforma virtual oferece várias atividades como: Plantão Psicológico, Sessão de Vídeos, Podcast, Lives nas paginas do MSM, Grupos Terapêuticos por aplicativos, Chatboot, Meditação Virtual, e também textos sobre temas relacionados com a saúde mental e a prevenção.
As varias atividades são uma oportunidade para cuidar das várias manifestações clínicas de transtornos como ansiedade, depressão, dependência química entre outros e prevenir o desenvolvimento do transtorno pós traumático de estresse.
O MSM continua se movimentando e renovando, contribuindo para gerar uma pandemia de solidariedade para com as pessoas que neste momento histórico particularmente difícil necessitam de apoio e suporte terapêuticos.
Padre Rino Bonvini, psiquiatra missionário comboniano.
Presidente do Movimento de Saúde Mental Comunitária do Bom Jardim